Comportamento

Abas primárias

Vivendo o Natal e seus singelos ensinamentos

Com frequência, temos dito que a família é o inicio de tudo. No seio da família, se aprendem as primeiras e maiores lições, se forja o caráter, se vivem valores, se cultivam virtudes... Precisamos aproveitar cada situação, cada momento de convívio, para proporcionar aos filhos essas aprendizagens que serão a estrutura fundamental que eles levarão para a vida.

O Natal pode ser uma excelente oportunidade para isso. Que alegria se em família nos esforçarmos para viver o genuíno sentido do Natal, procurando não nos deixar contaminar pelo materialismo que marca essa ocasião.

Natal, festa do nascimento do Menino Deus – Deus, Rei do Universo, nasce na mais suprema pobreza, sem casa, sem roupas adequadas, sem berço... Tem o fundamental: um pai e uma mãe que lhe provêm o que necessita de mais importante – amor, aconchego, calor e alimento.  Será que nos lembramos de contar essa história para os nossos filhos menores, e com ela, mostrarmos o que realmente é importante? A criança, com muita facilidade, desperta para a compaixão, e esse pode ser um momento frutuoso de ensinarmos a ela a generosidade e o desapego. Quantas crianças, hoje, como Jesus, não têm um lugar adequado para morar, comida para comer, brinquedos para brincar? Que tal promovermos uma doação de coisas que elas têm a mais para aquelas que não têm? Que tal escolhermos, junto com elas, um brinquedo em bom estado, algo que gostamos de comer, uma roupinha ainda bonita, mas que está ficando pequena, para levarmos a um abrigo ou orfanato? Ver a realidade de outros é uma experiência muito rica até mesmo entre os menores. Preparar para a vida é isso: tratar com naturalidade a realidade, não a escondendo das crianças, mostrando a elas como podemos contribuir para melhorar aquilo que não está bom, promovendo vivências que possibilitem que elas pensem nos outros e não somente em si mesmas; e que promovam com o tempo o gérmen do verdadeiro amor! 

Oportunidade de estimularmos a virtude da gratidão. Hoje, a palavra de ordem é “quero”. Ouve-se “quero” milhares de vezes ao dia entre adultos e crianças. Muito se quer, mas muito pouco valor se dá ao que se tem. Vamos ensiná-los a agradecer pela casa, pela comida, pelos brinquedos, pela família, pela saúde.

O presépio, cena do nascimento de Cristo, por si só já nos traz muita reflexão. Podemos montar um presépio junto com as crianças, contando de modo lúdico a história da salvação, a história do Deus que nos ama infinitamente e está muito perto de nós, para criarmos o hábito de cumprimentar a Jesus cada vez que passarmos por Ele no presépio. Cumprimentar Nossa Senhora, São José. Pedir a eles por alguém que conhecemos e que precisa de nossa oração, um amigo com dificuldades escolares, alguém doente na família, alguém que vimos na rua em alguma necessidade. Isso contribuirá para abrir a criança ao sobrenatural, à possibilidade de estar próxima de Jesus e de vê-Lo como presença amiga, atenta às nossas necessidades. Isso abrirá o coração das crianças à esperança – com o tempo, saberão em quem confiam e por que vale à pena esperar  n’ Ele!

Que as famílias possam viver este Natal de modo santo e frutuoso, que seja uma oportunidade de ricas aprendizagens para todos!

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.