INTERNACIONAL

China

Governo bloqueia venda de bíblias

Por Filipe David
13 de abril de 2018

Embora fosse às vezes toleradas, as Sagradas Escrituras nunca foram legalizadas no país.

Pixabay

O governo chinês bloqueou a venda de bíblias pela internet. A ação ocorreu logo após a publicação de um novo documento governamental sobre um “Cristianismo de estilo chinês”, que deverá ser promovido nos próximos cinco anos.

Buscas pela Bíblia em sites de venda on-line como Taobao , Jingdong , DangDang e Amazon começaram a não dar nenhum resultado, como se não houvesse nenhuma Bíblia disponível para venda. Diversos usuários começaram a publicar nas redes sociais suas conversas com donos de lojas de livros, que dizem ter sido obrigados pelo governo a interromper a venda de bíblias. A Bíblia não é um livro aprovado pelo governo para publicação e venda. Embora fosse às vezes tolerada, ela nunca foi legal.

Diversas teorias começaram a aparecer na internet para tentar explicar a ação do governo. A mais popular dentre elas sugere que o governo está trabalhando em uma tradução especial da Bíblia, que “harmonize” os ensinamentos cristãos com o socialismo chinês. Com efeito, o documento publicado pelo governo chinês diz claramente: “A China adota políticas sobre a liberdade de crença religiosa e administra assuntos religiosos de acordo com a lei, adere ao princípio de independência e autoadministração, guia ativamente as religiões a se adaptar à sociedade socialista e une ao máximo cidadãos religiosos e sem religião”.

Fontes: ACI/ Radio Australia/ Breitbart/ Governo chinês
Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.