SÃO PAULO

ESPORTE E FÉ

O esporte como canal de inclusão e prática da caridade

Por Flavio Rogério Lopes
17 de mai de 2018

Cardeal Scherer presidiu missa no Palmeiras em ação de graças por uma iniciativa solidária do clube

Luciney Martins/O SÃO PAULO

O Ginásio Poliesportivo da Sociedade Esportiva Palmeiras, na zona Oeste, estava repleto de familias na noite do sábado, 12, não para um evento esportivo, mas para uma celebração eucarística. O Cardeal Odilo Pedro Scherer, Arcebispo Metropolitano de São Paulo, presidiu a missa em ação de graças por uma iniciativa solidária realizada pelo clube, que rendeu mais de 30 toneladas de alimentos, distribuídos a diversas instituições de caridade ligadas à Igreja Católica em São Paulo.

ESPORTE E FÉ

O clube há muitos anos, com o apoio da Igreja Católica, realiza diversas atividades pastorais em sua sede social, reunindo famílias inteiras por meio dos sacramentos. As missas acontecem nas dependências do clube desde a década de 1980.

Com o auxílio das Paróquias São Geraldo e Nossa Senhora do Rosário de Pompeia, na Região Episcopal Sé, o Palmeiras realiza missas dominicais e oferece o sacramento do Batismo e Catequese de primeira Eucaristia a crianças e adolescentes, organizados pelo Departamento de Cultura e Arte.

Na homilia, o Cardeal Odilo Scherer destacou o poder do esporte em unir pessoas e formar grupos: “O esporte, de fato, é cada vez mais reconhecido como uma das muitas possibilidades boas presentes na sociedade atual. Uma das muitas e expressivas iniciativas de convívio que agregam, congregam e mobilizam a sociedade”.

O Arcebispo de São Paulo expressou sua felicidade pelo gesto de caridade realizado pelo clube em favor da Pastoral do Menor e de outras instituições da Arquidiocese de São Paulo: “O gesto que vocês realizaram mostra, realmente, que com o esporte é possível realizar muitas coisas boas, também para o convívio social”.

Dom Odilo reiterou que no esporte todos são chamados a se alegrar juntos em prol de iniciativas boas na sociedade: “Que Deus ajude para que o esporte uma sempre mais a comunidade e a família humana. Mesmo com os vários grupos de familias e várias torcidas, que prevaleça o senso da grande família humana que se encontra e se solidariza”, concluiu.

Durante a celebração, a imagem peregrina de Nossa Senhora Aparecida foi conduzida por integrantes do clube. No momento de ofertório, alimentos entraram, juntamente com a bandeira do Palmeiras. Crianças atendidas pelos projetos sociais da Pastoral do Menor entraram com balões brancos, em forma de agradecimento.

“Destacamos o compromisso da família Palmeiras em propagar a solidariedade entre os seus associados e torcedores, o que ficou provado nas mais de 30 toneladas de alimentos arrecadados e destinados a diversas instituições carentes atendidas pela Pastoral do Menor”, declarou Maurício Galiotte, presidente da Sociedade Esportiva Palmeiras, que participou da celebração, acompanhado de sua família e de membros da diretoria do clube.

SOLIDARIDADE

No dia 7 de abril, no Allianz Parque, 35 mil torcedores acompanharam o último treino do Verdão antes da decisão do Campeonato Paulista. Os ingressos foram trocados por 1kg de alimento (arroz, feijão, macarrão ou um litro de leite ou de óleo). Um mutirão de voluntários – que reuniu funcionários do Palmeiras, membros da diretoria e integrantes da Pastoral do Menor - organizou as doações.

No total, 31 instituições foram beneficiadas pelas doações em toda Arquidiocese de São Paulo, como o Arsenal da Esperança, a Comunidade Aliança da Misericórdia, o Centro Social Nossa Senhora do Bom Parto, a Missão Belém e a Pastoral do Povo de Rua, além dos Seminários de Filosofia e Propedêutico da Arquidiocese e da Pastoral do Menor nas Regiões Episcopais Bélem, Brasilândia, Lapa e Santana.

Nos projetos relacionados são atendidas diariamente 6,8 mil pessoas (crianças, adolescentes, população em situação de rua e idosos). São oferecidas em média três refeições diárias (café da manhã, almoço e jantar), chegando a quantia de 20.400 refeições diárias.

PRESENTE DE DEUS

“Louvamos a Deus por essa iniciativa que gera vida, unidade, compromisso, pois se todos nós como Igreja, como cristãos, fizéssemos mais ações desse tipo, muitas pessoas não estariam passando fome”, afirmou Bruna Mariana Costa, em entrevista ao O SÃO PAULO.

Missionária da Comunidade Aliança da Misericórdia, Bruna disse que o recebimento das doações foi um grande presente de Deus, pois muitas crianças, adolescentes e idosos foram beneficiados, e as dispensas estão cheias.

Bruna destacou a parceria com a Pastoral do Menor, que vem contribuindo muito para as ações da comunidade com crianças e adolescentes que lutam pelos seus direitos de ter uma infância, de brincar e de ter uma família.

“O corpo de Cristo tem vários membros e cada um tem a sua função, e como é bonito ver que um completa o outro, que uma comunidade completa outra. Se nós trabalharmos juntos, nós podemos instaurar esse reino de amor, que o Senhor mesmo nos convida a viver”, concluiu a Missionária.

PAPA FRANCISCO

O Papa Francisco, declarado torcedor do clube argentino San Lorenzo, é conhecido pelo amor que tem pelo futebol, e, pelas constantes delegações esportivas que recebe no Vaticano. Ele já declarou que o esporte é uma das atividades que pode “enriquecer” a vida das pessoas de todo o mundo sem diferenciação de credo, nacionalidade ou etnia.

“Quando as pessoas lutam para criar uma sociedade mais justa e transparente, estão colaborando com a obra de Deus. No esporte, como na vida, é importante lutar pelo resultado. Mas jogar bem e com lealdade é ainda mais importante”, declarou o Pontífice na abertura da primeira Conferência Global sobre Fé e Esporte, realizada em outubro de 2016, no Vaticano, intitulada de “O esporte a serviço da fé”.

Na ocasião, o Papa destacou que o esporte tem o poder de incluir quem é marginalizado pela sociedade, relembrando sua luta pelo fim da “cultura do descarte” e pela inclusão mais humana dos mais pobres.

“Todos conhecem o entusiasmo das crianças que jogam com uma bola murcha ou feita de trapos nos subúrbios de algumas grandes cidades ou pelas ruas de pequenas localidades”, disse Francisco.

“Quero encorajar a todos - instituições, sociedades esportivas, centros educativos e sociais, comunidades religiosas- para trabalhar juntos para que essas crianças possam chegar ao esporte em condições dignas, especialmente, para aqueles que são excluídos por causa da pobreza”, concluiu o Pontífice.

(Com informações da Sociedade Esportiva Palmeiras, Vatican News e IG)

Cardeal Scherer presidiu missa no Palmeiras

Luciney Martins/O SÃO PAULO
Luciney Martins/O SÃO PAULO

Cardeal Scherer presidiu missa no Palmeiras

Para pesquisar, digite abaixo e tecle enter.